Morte precoce: batata frita semanal dobra risco

Natali_CCM - 26 de junho de 2017 - 09:52

Morte precoce: batata frita semanal dobra risco

Pesquisa indica que ingerir esse alimento duas ou mais vezes por semana é muito perigoso

(CCM SAÚDE) — Uma pesquisa conduzida na Universidade de Pádua, na Itália, indica que consumir batata frita duas vezes por semana dobra o risco de morte precoce devido ao fato de ela ser frita em óleo, o que eleva os índices de gordura trans.



Em um estudo feito por oito anos, os cientistas avaliaram 4.400 pessoas com idades entre 45 e 79 anos, divididas em grupos que comiam batata frita, que a ingeriam assada e os que não a consumiam. Após o período do estudo, foram registradas 236 mortes, sendo que, entre elas, o número das que comiam batata frita duas vezes por semana era o dobro das que não ingeriam o alimento.

Publicada no 'American Journal of Clinical Nutrition', a pesquisa demonstra o perigo da gordura trans para o aumento das doenças cardíacas. O consumo contínuo da batata frita, aliado à obesidade, ao sedentarismo, ao consumo elevado de sal e aos níveis altos de colesterol, eleva ainda mais os riscos.

Especialistas destacam que batatas assadas ou na forma de purê não são um mal à saúde e oferecem nutrientes, fibras e vitaminas organismo.

Foto: © olegdudko - 123RF.com