Células cerebrais geram compulsão alimentar

Natali_CCM - 10 de julho de 2017 - 08:54

Células cerebrais geram compulsão alimentar

Pesquisa feita nos EUA mostrou ganhos de peso de até 400% e relação com hipotálamo

(CCM SAÚDE) — Estudo da Universidade da Califórnia em São Francisco e Universidade do Centro Médico Washington, nos Estados Unidos, mostra que células cerebrais podem desencadear a compulsão alimentar em dietas ricas em gorduras.

De acordo com os cientistas, em pesquisa publicada na revista 'Cell Metabolism', quando se ingerem alimentos ricos em gordura há elevação do número de micróglias no hipotálamo. Essas células, em excesso, levam à compulsão alimentar e obesidade, o que levou os estudiosos a entenderem o funcionamento desse sistema em ratos.

"As micróglias não são neurônios, mas constituem de 10% a 15% das células do cérebro", conta Suneil Koliwad, professor-assistente do Centro de Diabetes da UCSF e coautor sênior do estudo. "Elas representam uma inexplorada e totalmente nova forma de potencialmente mitigar a obesidade e suas consequências à saúde", diz.

Responsável por regular a ingestão de alimentos e o gasto energético, o hipotálamo mediobasal pode ter um funcionamento alterado por dietas gordurosas, que geram inflamações cerebrais e corporais, combatidas com uma droga experimental, a PLX5622, que reduziu o número excessivo de micróglias.

O resultado foi que os ratos tratados comeram 15% menos e ganharam 20% menos peso que os demais que seguiam a mesma dieta. "Estamos confiantes em dizer, a partir desses experimentos, que a ativação inflamatória da micróglia não apenas é necessária para as dietas ricas em gordura induzirem à obesidade, mas suficientes para levar o hipotálamo a alterar sua regulação no balanço energético, resultando no excesso de ganho de peso", completam os pesquisadores.

Foto: © Studio KIWI - Shutterstock.com