Emagrecedores trazem riscos; conheça-os

Natali_CCM - 31 de julho de 2017 - 09:39

Emagrecedores trazem riscos; conheça-os

Liberação desses produtos gerou polêmica com a Anvisa, que afirma que perigos são maiores que benefícios

(CCM SAÚDE) — A recente liberação do emagrecedor à base de anfetaminas pelo Congresso tem gerado muita preocupação da parte dos médicos e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que alerta para os perigos desse produto.



Conhecidos como anorexígenos, esses medicamentos atuam no sistema nervoso central, gerando aversão à comida e inibindo o apetite, porém, segundo o órgão, esses produtos trazem riscos a pessoas que têm predisposição a doenças cardíacas e psiquiátricas e têm vantagens limitadas. "O que encontramos foi que esses medicamentos trazem riscos graves e resultados inexpressivos", diz o médico Jarbas Barbosa, diretor-presidente da Anvisa.

Por outro lado, o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso) apoiam o retorno dos medicamentos ao país.

"É um medicamento para usar no paciente obeso, não para quem quer perder dois ou três quilos", diz Fábio Trujilho, presidente da SBEM. "Essas substâncias não podem ser receitadas para pacientes que consumam outros remédios e o tratamento não pode ultrapassar três meses", completa.

Os especialistas destacam que os efeitos possíveis de anfepramona, femproporex e mazindol é a estimulação da atividade do sistema nervoso central, causando, além da perda de apetite, insônia e maior sensação de energia. Podem, ainda, aumentar a pressão arterial e a frequência cardíaca.

"Essas drogas têm ação sobre neurotransmissores como a dopamina, a noradrenalina e a serotonina, além de outros. Seus mecanismos de ação atuam em mecanismos comuns aos que estão presentes em quadros como psicoses, esquizofrenia, depressão e pânico", diz, ao site 'G1', Táki Athanássios Cordás, psiquiatra e coordenador do programa de transtornos alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, em São Paulo.

Foto: © Kurhan - 123RF.com