Chip recupera tecidos e órgãos em segundos

Pedro.CCM - 8 de agosto de 2017 - 09:28

Chip recupera tecidos e órgãos em segundos

Técnica não invasiva transforma células da pele em qualquer outro tipo de célula necessária

(CCM SAÚDE) — Recuperar tecidos do corpo em segundos pode não ser mais algo inalcançável. Pesquisadores da Universidade Ohio State, nos Estados Unidos, apresentaram um nanochip que transforma células da pele em qualquer tipo de célula.

O procedimento pioneiro, chamado de nanotransfecção, simplesmente encosta um chip sobre a pele e uma corrente elétrica com duração de apenas um segundo transmite a informação genética às células cutâneas para que se reprogramem.

Com isso, essas células se tornam capazes de se transformarem em, por exemplo, vasos sanguíneos e neurônios. "Usando essa nova tecnologia, órgãos lesionados ou comprometidos podem ser recuperados. Conseguimos mostrar que a pele é uma terra fértil onde podemos criar elementos de qualquer órgão que esteja em más condições", explica Chandan Sen, um dos autores do estudo.

Até o momento, a nanotransfecção foi testada em ratos e porcos com resultados expressivos no combate a problemas circulatórios e na recuperação de acidentes vasculares cerebrais. Ao todo, a pesquisa obteve 98% de sucesso em seus tratamentos e, em breve, será testada em seres humanos.

Por não utilizar células alheias à pessoa alvo do procedimento, os cientistas também apontam que não há risco de rejeição pelo sistema imunológico. "O processo leva menos de um segundo e é não invasivo. O chip não fica na pessoa e a reprogramação começa. A tecnologia também mantém as células sob vigilância imunológica e não há necessidade de uso de medicamentos imunossupressores", aponta Sen.

Foto: © Alexander Traksel - 123RF.com