Zika pode custar até R$ 57 bi à América Latina

Pedro.CCM - 16 de agosto de 2017 - 07:22

Zika pode custar até R$ 57 bi à América Latina

No pior cenário possível, perdas apenas para o Brasil podem alcançar R$ 18 bilhões, um quarto do total

(CCM SAÚDE) — A epidemia de vírus zika na América Latina entre 2015 e 2017 podem representar para a região custos totais de 18 bilhões de dólares (R$ 57,4 bilhões), calcula levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU).



O estudo, divulgado nesta terça-feira (15), leva em conta os gastos médicos para o tratamento de crianças e adultos infectados com a doença e as perdas de produtividade provocados por ausência ao trabalho e deficiências desenvolvidas pela zika em fetos.

Com base nestes dados, a ONU criou três cenários possíveis nos quais a epidemia terá baixo, médio ou alto impactos nas economias latinoamericanas. Em qualquer uma das possibilidades, no entanto, o Brasil é o país com os maiores custos totais. Esse valor, na pior das hipóteses, pode alcançar 4,6 bilhões de dólares (R$ 18 bilhões), mais de um quarto do total.

No entanto, o levantamento também aponta que, em termos percentuais, os países do Caribe e América Central serão os mais afetados pelo vírus zika, especialmente devido às grandes perdas no setor de turismo, do qual muitos desses países são extremamente dependentes.

Haiti e Belize terão as maiores perdas relativas. Nestes dois países, os custos com a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti chegarão a 1,13% e 1,19% do Produto Interno Bruto (PIB), respectivamente. No Brasil, por outro lado, a perda será de, no máximo, 0,09% do PIB.

Foto: © InsectWorld - Shutterstock.com