Idosos são os que mais tiram a própria vida

Pedro.CCM - 22 de setembro de 2017 - 08:20

Idosos são os que mais tiram a própria vida

Taxa é maior entre os idosos acima de 70 anos e ato é a quarta causa de morte entre jovens

(CCM SAÚDE) — O Ministério da Saúde divulgou dados inéditos sobre o suicídio no Brasil. Os números apontam que a faixa etária onde mais ocorrem essas mortes é a dos idosos com mais de 70 anos. Entre jovens, essa é a quarta principal causa de mortes.



O levantamento se baseia nos dados do Sistema Único de Saúde (SUS) e diz respeito ao período a partir de 2011, quando a notificação das tentativas e óbitos por suicídio se tornaram obrigatórias no país. Em média, 11 mil pessoas morrem desta maneira anualmente no país. Em todo o mundo, são 800 mil casos anuais.

A divulgação dos números nacionais, realizada pela primeira vez, faz parte das ações do Setembro Amarelo, campanha de prevenção do suicídio que ocorre ao longo de todo o mês.

Ao todo, a taxa de suicídios no Brasil foi de 5,7 por 100 mil habitantes em 2016, valor levemente superior aos 5,3 registrados em 2011. Entre os idosos com mais de 70 anos, esse número salta para 8,9 por 100 mil. Na distinção por raça, os indígenas são os mais afetados, com 15,2 casos por 100 mil. Brancos (5,9) e negros (4,7) têm níveis mais próximos à média.

Entre os jovens de 15 a 29 anos, o suicídio é a quarta maior causa de mortes. Os números, no entanto, são desequilibrados entre homens e mulheres, indo de 9 para 2,4 por 100 mil, respectivamente.

Por outro lado, em relação às tentativas, são as mulheres que concentram a maior parte dos casos (69%). Nos cinco anos acompanhados pela pesquisa foram registradas um total de 48.204 tentativas, a maioria por envenenamento e intoxicação.

Junto ao anúncio, o ministério revelou a meta de redução de 10% do total de casos de suicídio no país até 2020, seguindo recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para isso, o melhor caminho é a prevenção. Atualmente, funciona no Brasil o atendimento 24 horas do Centro de Valorização da Vida (CVV) por meio do telefone 141 e pelo site da instituição.

Foto: © nito500 - 123RF.com