Obesidade agrava os sintomas da menopausa

Pedro.CCM - 9 de outubro de 2017 - 08:26

Obesidade agrava os sintomas da menopausa

Ondas de calor são mais intensas entre mulheres acima do peso, aponta estudo da Unicamp

(CCM SAÚDE) — Mulheres obesas sofrem mais com as ondas de calor típicas da menopausa, aponta estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) com 749 mulheres da região metropolitana da cidade paulista.



A situação é provocada justamente pelo maior acúmulo de tecido adiposo deste grupo. Durante as ondas, ele funciona como uma manta, impedindo a dissipação do calor. Desta forma, mulheres com IMC acima de 30 têm, em geral, calores mais intensos e prolongados.

A pesquisa, do ginecologista Sylvio Saccomani e da obstetra Lucia Costa Paiva, contraria hipótese de que a gordura acumulada, por produzir estrogênio, seria capaz de reduzir os sintomas da menopausa. É o hormônio, em falta quando a mulher para de menstruar, que evita as ondas de calor.

"Há produção de estrogênio no tecido adiposo, mas não o suficiente para amenizar os sintomas. Não adianta ter estrogênio periférico no organismo se a mulher tem uma manta muito grande que não deixa o calor se dissipar", explica Lucia em entrevista ao portal 'G1'.

O estudo também revelou que outros sintomas relacionados à menopausa, tais como secura vaginal e incontinência urinária, também afetam em maior medida as mulheres obesas.

Para reduzir a incidência das ondas de calor e demais sintomas, que afetam a qualidade de vida da paciente, os especialistas recomendam a realização de atividades físicas e adoção de uma dieta equilibrada para perda de peso que, junto com terapias de reposição hormonal em casos específicos, diminuem as manifestações da menopausa.

Foto: © Suzanne Tucker - Shutterstock.com