25 milhões morrem em sofrimento sem morfina

Pedro.CCM - 17 de outubro de 2017 - 09:41

25 milhões morrem em sofrimento sem morfina

Falta de acesso à substância impede alívio da dor e tratamentos paliativos para pacientes terminais

(CCM SAÚDE) — Mais de 25 milhões de pessoas agonizam até a morte todos os anos por falta de morfina e outras substâncias para alívio da dor, revela estudo internacional publicado por uma comissão formada pela revista 'The Lancet'.



O levantamento, que levou mais de três anos para ficar pronto, que mais de 80% dessas mortes ocorrem em países de baixa renda, onde o acesso à morfina é mais difícil pelo alto custo e temor das autoridades que sua circulação em hospitais facilite o uso dos opioides como drogas. A pesquisa foi coordenada pela economista canadense Felicia Marie Knaul.

"Analisando o abismo no acesso a tratamentos paliativos, é possível ver o sofrimento extremo da face mais cruel da pobreza e da desigualdade. Reduzir essa distância entre ricos e pobres é um imperativo de saúde, moral e ético", escrevem os autores do trabalho.

Dos 25,5 milhões de óbitos em sofrimento ocorridos no mundo anualmente, 2,5 milhões são de crianças. Destas mortes infantis, 90% são por causas evitáveis, demonstrando ainda mais a separação entre os países. Além das mortes, outras 35,5 milhões de pessoas convivem diariamente com dores crônicas sem condição de aliviar corretamente os sintomas.

O grupo de cientistas defende ações globais que garantam rapidamente o acesso integral dos serviços de saúde de países em desenvolvimento à morfina. Entre as nações mais afetadas pelo problema, o estudo destaca a China, que só possui estoque de 16% da morfina necessária à população, Índia (4%) e Nigéria (0,2%). Em outros países, como o Haiti, opioides são praticamente inexistentes.

Foto: © Alexander Korzh - 123RF.com