Estudo coloca 357 cidades em risco de dengue

Pedro.CCM - 6 de dezembro de 2017 - 07:07

Estudo coloca 357 cidades em risco de dengue

Levantamento feito em todo o Brasil encontrou mais de 65 mil focos do mosquito Aedes aegypti pelo país

(CCM SAÚDE) — O Ministério da Saúde divulgou o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), que avalia risco de surto de dengue, zika e chikungunya nas cidades do país. Ao todo, 357 municípios estão em situação de risco.



Neste ano, o LiRAa se tornou obrigatório a todos os municípios, o que fez com que 3.946 cidades recolhessem dados sobre a presença do mosquito em seus territórios, maior valor registrado. Além das 357 em risco (infestação em 4% ou mais dos domicílios), 1.139 cidades estão em situação de alerta (entre 1% e 3,9%) e 2.450 municípios com índice satisfatório (abaixo de 1%).

Dentre as 26 capitais mais Brasília, nove delas não enviaram dados, nove têm níveis satisfatórios e outras nove estão em alerta. Neste grupo, estão Maceió (AL), Manaus (AM), Salvador (BA), Vitória (ES), Recife (PE), Natal (RN), Porto Velho (RO), Aracaju (SE) e São Luis (MA). A nível estadual, estão em alerta Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Santa Catarina e São Paulo.

Os agentes públicos de saúde envolvidos na tarefa de visitar residências para recolher dados para o LIRAa encontraram mais de 65 mil focos de Aedes aegypti nas casas. Quase metade dos casos foram registrados em depósitos de água parada, tais como cisternas, caixas d'água, pneus e garrafas.

Os surtos de dengue, zika e chikungunya costumam acontecer nos meses de verão. Em 2017, após dois anos consecutivos com as maiores epidemias já registradas no país, as três doenças tiveram redução significativa, com os casos se concentrando nas regiões Nordeste e Centro-Oeste.

Foto: © Tacio Philip Sansonovski - Shutterstock.com