Tirar fotos prejudica a memória de curto prazo

Pedro.Saude - 11 de setembro de 2015 - 15:31

Tirar fotos prejudica a memória de curto prazo

Uso excessivo das câmeras faz com que cérebro não registre informações de forma tão eficaz

(CCM SAÚDE) - O hábito de tirar fotos de todos os momentos do dia, do prato de comida ao céu estrelado, pode trazer danos para a capacidade de memorização das pessoas. O alerta foi feito pela psicóloga Linda Henkel, da Universidade Fairfield, nos Estados Unidos, que publicou estudo sobre o tema realizado no ano passado.

Durante o trabalho, a especialista levou um grupo de estudantes a um museu e pediu para que eles fotografassem alguns quadros e apenas observassem outros. No dia seguinte, eles eram convidados a descrevê-los. Em geral, os alunos lembravam com mais detalhes das obras que não tinham batido retratos.

Segundo Henkel, a explicação está na ativação maior do cérebro quando estamos somente olhando os acontecimentos, sem fotografá-los. "Estamos tratando a câmera como um drive externo de nossa memória. Temos a expectativa de que o aparelho vai se lembrar de coisas por nós e assim não precisamos processar aquele objeto", explica a psicóloga.

O estudo também mostrou que os efeitos negativos do excesso de fotos ao longo do dia só se dá na memória de curto prazo. Conservar fotografias é, por outro lado, uma maneira importante e eficaz de reter informações e lembranças de acontecimentos mais antigos.

Foto: © Pixabay.