Intoxicação alimentar mata 420 mil por ano

Pedro.Saude - 4 de dezembro de 2015 - 13:04

Intoxicação alimentar mata 420 mil por ano

Primeira estimativa sobre óbitos causados por alimentos mostra que crianças são grupo mais afetado pelo problema

(CCM SAÚDE) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nesta sexta-feira (4) os resultados da primeira estimativa global de casos e mortes por intoxicação alimentar em todo o mundo. Segundo a agência internacional, 420 mil pessoas morrem anualmente em decorrência de infecções dessa natureza. Além disso, 600 milhões (10% da população global) fica doente a cada ano por conta desses problemas. O grupo mais afetado são as crianças de até 5 anos, que respondem por 30% dos óbitos.



Os casos se concentram na África, no Sudeste Asiático e em países pobres de outras regiões. A maior parte dos casos e mortes - 550 milhões e 230 mil, respectivamente - são causadas por diarreia. Seus principais agentes são alimentos crus ou mal cozidos (carnes, ovos, laticínios, legumes e verduras), vírus, bactérias como o E. coli e a salmonella e parasitas como a tênia solitária. Nos cálculos da OMS, não foram incluídos casos de pessoas doentes ou mortas por alimentos contaminados com agrotóxicos e outros produtos químicos utilizados em plantações.

Para a diretora-geral do braço das Nações Unidas para saúde, Margaret Chan, os resultados apresentados poderão auxiliar nas políticas públicas para a redução das mortes por intoxicação alimentar. "Até então, os dados nessa área eram vagos e imprecisos. Saber que patógenos estão causando os maiores problemas em cada parte do mundo pode nos permitir criar ações com alvos melhor definidos", defende ela.

Além das crianças, que apresentam risco elevado de morte e, caso sobrevivam, podem sofrer dificuldades no seu desenvolvimento físico e cognitivo, mulheres grávidas, idosos e pessoas com baixa imunidade fazem parte do grupo de risco para problemas decorrentes de intoxicação alimentar.

Foto: © Pixabay.