Aquecimento global vai afetar dieta das pessoas

Pedro.Saude - 4 de março de 2016 - 12:50

Aquecimento global vai afetar dieta das pessoas

Redução da quantidade de alimentos disponível poderá provocar até 500 mil mortes até 2050 em todo o mundo

(CCM SAÚDE) - O aquecimento global vai colocar em risco a segurança alimentar global e alterar sensivelmente a alimentação das pessoas em todo o mundo, concluiu um estudo da Universidade de Oxford, no Reino Unido, publicado nesta quinta-feira (3) na revista científica 'The Lancet'. Segundo os cientistas, as mudanças climáticas já em curso poderão provocar 529 mil mortes até 2050 por conta de alterações na dieta e no peso da população mundial.

O aumento contínuo das emissões de gases do efeito estufa vai acentuar períodos de seca e chuva intensas em certas regiões do planeta, afetando de maneira importante a produção agrícola em todo o mundo. Conforme os cálculos do estudo britânico, o aquecimento da Terra em cerca de 2ºC pode reduzir em 30% a quantidade de comida disponível em 2050 em comparação com a produção registrada há seis anos.

Os pesquisadores estimam que cada pessoa em 2050 terá 3,2% menos alimentos à disposição e irá consumir 4% menos frutas e vegetais e 0,7% menos carnes vermelhas na relação com 2010. Desta forma, as 529 mil mortes adicionais estariam relacionadas à diminuição do peso e das defesas imunológicas da população. Por outro lado, o estudo demonstra que em um cenário sem elevação da temperatura média do planeta, cerca de 1,9 milhão de vidas seriam poupadas nos próximos 25 anos.

Em dezembro de 2015, autoridades de 195 países reunidas na Conferência da ONU para Mudanças Climáticas, em Paris, na França, decidiram tentar limitar o aquecimento global a 1,5ºC até 2050. Este valor é considerado insuficiente por especialistas e não seria capaz de evitar as consequências que as alterações do clima poderão provocar sobre a saúde e a qualidade de vida da população mundial, principalmente das pessoas que vivem em países pobres ou em desenvolvimento.

Foto: © Pixabay.