Teste de zika obrigatório para fertilização in vitro

Pedro.Saude - 24 de março de 2016 - 10:28

Teste de zika obrigatório para fertilização in vitro

Determinação da Anvisa será válida também para doadores de sêmen e óvulos; medida deve entrar em vigor semana que vem

(CCM SAÚDE) — A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu em reunião na última terça-feira (22) que doadores de sêmen e óvulos deverão passar por testes de diagnóstico para o vírus zika. Em caso de resultado positivo para a infecção, possivelmente associada ao aumento de casos de microcefalia e síndrome de Guillain-Barré no país, as doações serão dispensadas.



O mesmo passará a valer para casais que planejam realizar procedimento de fertilização in vitro. Pelo risco de malformação do sistema nervoso central do bebê, o tratamento não será permitido caso um dos parceiros esteja portando o vírus em seu organismo. A decisão deve passar a valer a partir da semana que vem, quando será publicada no Diário Oficial da União.

“Considerando que o objetivo final da utilização de técnicas de reprodução humana é a gravidez, e que a infecção pelo zika está relacionada aos casos de microcefalia em bebês de mães infectadas, tornou-se urgente a elaboração de critérios para doação de gametas e realização dos procedimentos para uso em fertilização própria”, afirmou o diretor de Regulação Sanitária da Anvisa, Fernando Mendes, ao site da agência.

Anteriormente, a Vigilância Sanitária já havia determinado que doações de sangue, células, tecidos e órgãos deveriam passar por procedimento similar. Doadores de sangue com sintomas da doença não podem doar por 30 dias. Já em outros materiais, a restrição se estende também para mulheres que tiveram relações sexuais com homens infectados. Vale lembrar também que o zika é assintomático, ou seja, não apresenta sintomas, em cerca de 80% dos casos.

Foto: © Pixabay.