OMS sugere uso de camisinha após Olimpíadas

Pedro.Saude - 11 de maio de 2016 - 06:31

OMS sugere uso de camisinha após Olimpíadas

Medida deve ser tomada por estrangeiros que visitem o Brasil por até seis semanas após retorno; transmissão sexual é possível

(CCM SAÚDE) — A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um comunicado na última terça-feira (10) recomendando que estrangeiros que venham ao Brasil para acompanhar os Jogos Olímpicos usem preservativos em suas relações sexuais por até seis semanas depois de voltarem para casa. A medida tem como objetivo evitar a transmissão por via sexual do vírus zika, aponta a agência.

Segundo o porta-voz da OMS, Christian Lindmeier, a transmissão sexual do zika é mais grave do que estudos anteriores haviam demonstrado. Em um ano desde o surgimento da doença, nove países registraram casos de contágio por relações sexuais, entre eles Brasil, Chile e Estados Unidos. Além disso, o braço de saúde da ONU manteve a recomendação para que grávidas evitem vir ao Brasil e outros países com epidemia da doença se não houver necessidade.

"Para os viajantes retornando do Brasil, recomendamos a prática de sexo seguro de quatro a seis semanas", disse Lindmeier, que confirmou a confiança da OMS na capacidade das autoridades de saúde do país em controlarem o nível de transmissões até agosto, quando começam os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Para os viajantes, a recomendação é que se protejam com uso de roupas de manga comprida, uso regular de repelente e, se possível, uso de telas em janelas ou sobre as camas. De acordo com o porta-voz, o zika é uma doença com a qual o mundo terá que conviver por um longo tempo. "Assim como a malária, o zika é uma doença para a qual todo viajante terá que se preparar, saber qual vacina tomar, o que fazer ao chegar num país onde ela seja endêmica", afirmou ele.

Foto: © Pixabay.
Siga o CCM Saúde no Twitter