Apps podem ajudar a tratar distúrbios psiquiátricos

Natali.Saude - 25 de maio de 2016 - 11:23

Apps podem ajudar a tratar distúrbios psiquiátricos

Médicos estudam opções de aplicativos que auxiliem no combate a ansiedade e depressão

(CCM SAÚDE) — Em um mundo com mais de 1,6 bilhão de usuários de celulares com acesso à internet, os aplicativos têm se transformado em solução até para tratar distúrbios psiquiátricos como ansiedade e depressão.

De acordo com David Mohr, diretor do Centro de Intervenções Tecnológicas Comportamentais da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, diante do número crescente da incidência de transtornos mentais, é preciso tornar os tratamentos acessíveis. "Essa é uma estratégia que pode ajudar milhões de pessoas que não têm os cuidados adequados para depressão e ansiedade por questões como falta de tempo, de dinheiro ou relutância de falar com um terapeuta", afirma.

Na Universidade de Northwestern, Mohr ajudou a desenvolver um conjunto de 12 miniaplicativos interativos gratuitos, desenhados para diversas situações como, por exemplo, insegurança antes de um encontro profissional, para o qual há um app só para ajudá-lo a lidar com esse tipo de ansiedade. Todos os apps trazem textos, testes e exercícios práticos.

"O aplicativo é inteligente e detecta as necessidades do paciente, que vai receber exatamente o que precisa", afirma Mohr. "Nós testamos o que fizemos e podemos garantir que essa é uma estratégia que funciona", destaca. De acordo com ele, a maioria dos aplicativos de saúde mental disponíveis para iOS e Android não tem fundamento científico nem oferece estratégias que tenham sido testadas em pesquisas, o que requer cuidado ao recomendar essa solução a pacientes.

Foto: © Pixabay.

Siga o CCM Saúde no Twitter