Terapia para Alzheimer retarda perda de memória

Natali.Saude - 5 de setembro de 2016 - 09:19

Terapia para Alzheimer retarda perda de memória

Estudo envolveu 165 pacientes com a doença e foi publicado na revista 'Nature'

(CCM SAÚDE) — Uma terapia promissora é a mais nova esperança para quem sofre do Mal de Alzheimer, pois ela reduz o característico acúmulo de placas no cérebro de pacientes, retardando a taxa de declínio mental que acompanha a doença.



A descoberta foi feita após um estudo conduzido com 165 pacientes com Alzheimer, sendo que metade recebeu um placebo e a outra metade tomou uma injeção mensal de aducanumab, um anticorpo monoclonal humano.

Ao longo de um ano, a substância causou a retração das placas no cérebro e desacelerou a degeneração cognitiva que acompanha a doença. Os resultados da nova terapia, desenvolvida por pesquisadores dos Estados Unidos e da Suíça. foram publicados no fim de agosto pela revista científica 'Nature'.

"Em estudos anteriores, usando abordagens e anticorpos semelhantes, conseguiu-se eliminar placas, mas sem que houvesse redução da perda de memória. Assim, a grande diferença neste estudo é que a prevenção, ou a redução da formação de placas de amiloide esteve correlacionada à estabilização da memória. E isso, naturalmente, é o que mais queremos: não basta remover as placas, é preciso estabilizar a memória", avalia o doutor Christian Haass, professor de bioquímica e especialista em Alzheimer do Centro Alemão de Doenças Neurodegenerativas (DZNE).

Foto: © XiXinXing - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter