Poluição afeta cérebro e pode gerar doenças

Natali.Saude - 9 de setembro de 2016 - 09:14

Poluição afeta cérebro e pode gerar doenças

Pesquisadores consideram que o mal de Alzheimer também pode ser gerado pelo excesso de poluentes

(CCM SAÚDE) — Uma pesquisa britânica chegou à conclusão de que nanopartículas resultantes da poluição ambiental alcançam o cérebro e podem provocar doenças como o mal de Alzheimer. O resultado foi obtido após analisarem amostras de tecido cerebral de 37 pessoas falecidas.



O estudo da Universidade Lancaster, da Grã-Bretanha, evidencia "a presença de nanopartículas de magnetita no tecido cerebral humano". Por isso, os cientistas sugerem que "partículas menores a 200 nanômetros são suficientemente pequenas para entrar no cérebro através do nervo olfativo".

Deste grupo, 29 eram moradores com idades entre 3 e 85 anos da capital mexicana, que registra um índice de contaminação elevado, e as outras oito pessoas eram idosos da cidade inglesa de Manchester, com variados níveis de doenças neurodegenerativas.

Segundo os autores do estudo, as partículas encontradas são similares a "nanoesferas" de óxido de ferro - sensível ao campo magnético -, abundantes no ar contaminado urbano, resultado da combustão ou fricção.

"Ainda não existe conhecimento suficiente para determinar se esta fonte externa de magnetita procedente da contaminação ambiental constitui um fator na doença", advertiu Joanna Collingwood, da Universidade de Warwick, falando sobre o mal de Alzheimer.

Foto: © Fotos593 - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter