Estudo: estatinas evitam problemas cardíacos

Natali.Saude - 12 de setembro de 2016 - 09:33

Estudo: estatinas evitam problemas cardíacos

Revisão concluiu que os benefícios dessa substância são maiores do que os efeitos adversos

(CCM SAÚDE) — As estatinas são amplamente utilizadas no combate ao colesterol alto, porém foi descoberto outro benefícios desses medicamentos: a redução de risco de acidentes cardiovasculares.



Desde que o tratamento foi lançado, há três décadas, dezenas de milhões de pessoas no mundo com colesterol alto - mas sem ter necessariamente problemas cardíacos preexistentes - tomam estatinas de modo regular, porém, nos últimos anos, surgiram estudos comprovando os efeitos adversos negativos desse medicamento.

Segundo essa pesquisa recente, publicada pela revista médica britânica 'The Lancet', os benefícios das estatinas são subestimados. "Nossos resultados mostram que a quantidade de pessoas que evita acidentes vasculares cardíacos, ou cerebrais, graças a terapias com estatinas, é muitíssimo maior do que aqueles que sofrem efeitos colaterais", explicou Rory Collins, da Universidade de Oxford, que revisou um grande número de estudos existentes junto com outros pesquisadores.

Cada redução de 2 mmol/l da taxa de colesterol graças a estatinas administradas durante ao menos cinco anos a 10 mil pacientes evita acidentes cardiovasculares em cerca de mil pessoas (10%) que tiveram episódios cardíacos anteriores (infartos) e em cerca de 500 que apresentam apenas fatores de risco (fumantes, sedentários, histórico familiar, etc.).

Os efeitos colaterais de miopatias com dores e fraqueza muscular apareceram somente em um caso entre 10 mil pacientes que tomam 40 mg de atorvastatina por dia. O risco de diabetes ocorreu em entre 10 e 20 casos.

A pesquisa é categórica ao concluir que essas associações - entre as quais também estão perda de memória, catarata, problemas renais, ou hepáticos, transtorno do sono, agressividade e comportamento suicida - não foram sustentadas pelos estudos de observação, que "não refletiram um efeito causal com a terapia com estatinas".

Foto: © EM Karuna - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter