Aumento da temperatura eleva casos de doenças

Natali.Saude - 21 de setembro de 2016 - 09:26

Aumento da temperatura eleva casos de doenças

Pesquisa mostra aumento de doenças infecciosas, pulmonares e cardiovasculares

(CCM SAÚDE) — Se a emissão de poluentes e o aumento da temperatura não forem controlados, a Terra se transformará em um local impróprio ao homem. Essa é a conclusão de estudos divulgados pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) das Nações Unidas, que mostram que os sintomas provenientes do calor intenso estão cada vez mais sérios.

O aumento da temperatura, a acidificação dos oceanos, a exacerbação de desastres naturais, a perda de biodiversidade, o embranquecimento de corais, bem como a elevação do nível do mar e o derretimento de geleiras liberam dióxido de carbono e outras substâncias poluentes na atmosfera, elevando os casos de doenças infecciosas.

As pesquisas mostram que o aumento de temperatura — que tem atingido níveis recordes mês a mês neste ano — está associado a doenças infecciosas, pulmonares, cardiovasculares e a óbitos por ondas de calor.

De acordo com o IPCC, caso não seja feito nada para deter o avanço das emissões, no próximo século, a temperatura pode ficar 4ºC acima dos níveis pré-industriais, um quadro considerado extremo, mas não impossível.

No Brasil, as projeções não são nada animadoras. Entre 1999 e 2000 — período usado para a comparação no trabalho — a sensação térmica no país já não era das melhores: enquanto no Sul, no Sudeste, em partes da Bahia e no Distrito Federal o estresse térmico era moderado, o restante do Brasil sofria com estresse por calor forte. Em 2090, todas as regiões estarão sob estresse muito forte ou extremo. Nessa última condição, da qual apenas o litoral escapará, a sobrevivência humana é praticamente impossível.

Foto: © ChameleonsEye - Shutterstock.com

Siga o CCM Saúde no Twitter