Neuropatia diabética


Definição

a neuropatia diabética é uma forma de complicação da diabetes. É uma doença muito comum nas pessoas sofrendo de uma diabetes evoluindo depois de diversos anos e seu surgimento é mais precoce se a diabetes for mal equilibrada. Ela é causada pelos efetitos da hiperglicemia crônica causando a destruição da mielina que cerca os nervos e possuem um grande papel na condução do fluxo nervoso. De fato, uma grande quantidade de açúcar no sangue termina alterando, até impedindo, as conduções nervosas. A neuropatia pode afetar um (mononeuropatia) ou diversos nervos (polinevrite), preferencialmente os com destinação dos membros inferiores. Ela afeta igualmente os órgãos chamados de vegetativos como o aparelho digestivo ou genito-urinário. Por fim, a neuropatia diabética tem um papel preponderante no surgimento de outra complicação da diabetes, o pé diabético.

Manifestações

a neuropatia diabética se manifesta de maneira diferente de um caso para outro de acordo com o sistema nervoso autônomo, motor ou sensorial é afetado. Os sintomas dependendo portanto da região afetada são por consequência extremamente variáveis. Pode se tratar de:
  • Na maioria dos casos, principalmente de polinevrite, transtornos da sensibilidade com diminuição das sensações na parte terminal desses nervos, no início da planta do pé por exemplo. Sensações de queimadura igualmente podem surgir. Esses problemas são responsáveis por problemas da caminhada por menor quantidade de informação;
  • Ás vezes, afetação isolada de um nervo, nas mononevrites, podendo afetar o nervo crural com dores e perda da sensibilidade da coxa;
  • Transtornos digestivos com sensações de refluxo ácido, inchaços ou diarreias;
  • Transtornos de adaptação do sistema cardiovascular com uma hipotensão na passagem para a posição de pé;
  • Transtornos de ereção no homem;
  • O pé diabético, ferida geralmente contraída no pé e causada pela perda da sensação de dor e às forças de pressão exercidas sempre no mesmo ponto.

Diagnóstico

as manifestações da neuropatia diabética sendo diferentes de uma pessoa para outra, sua procura, em caso de evolução de longa data de uma diabetes, deve ser regular. O exame neurológico é igualmente completado por um teste da sensibilidade dos membros inferiores, pois as polinevrite são as mais comuns dessas complicações: o paciente, os olhos fechados, deve dizer quando se sente ou não a estimulação cutânea realizada com um pequeno filamento: falamos de teste do monofilamento.

Tratamento

o tratamento da neuropatia diabética implica um reequilíbrio glicêmica ideal. Geralmente, isso permite estabilizar a evolução da doença e impedir o agravamento. Um tratamento da dor é adaptado a cada caso, com moléculas agindo sobre as dores de origem nervosa. Um cuidado por um fisioterapeuta permite uma reeducação.

Prevenção

a prevenção da neuropatia diabética passa primeiro pelas modalidades de prevenção da diabetes. Em seguida, na pessoa diagnosticada como diabética, uma prevenção se baseia sobre o respeito às regras higieno-dietéticas que foram aprendidas: um bom equilíbrio da sua diabetes e um cuidado regular para procurar a aparição das complicações.
Publicado por asevere. Última modificação: 16 de dezembro de 2014 às 14:48 por asevere.
Este documento, intitulado 'Neuropatia diabética', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Doença amilóide
Nevralgias faciais