Lítio na água pode prevenir casos de demência

Lítio na água pode prevenir casos de demência
Estudo demonstrou que presença da substância em alta concentração reduz risco de Alzheimer

(CCM SAÚDE) — A presença de lítio em alta concentração na água que bebemos pode ser importante para prevenir quadros de demência, afirma estudo realizado pela Universidade de Copenhague, na Dinamarca.

A pesquisa apresentou resultados incomuns. O trabalho, que acompanhou mais de 800 mil dinamarqueses - sendo 77 mil com algum grau de demência - e avaliou 151 fontes de água do país, revelou que concentrações elevadas de lítio (acima de 15 microgramas por litro) diminuíram em 17% o risco de demência em comparação à água livre de lítio.

Por outro lado, níveis moderados da substância (entre 5 e 10 microgramas por litro) levaram a um aumento de até 22% nas chances de o paciente desenvolver Alzheimer e outros quadros associadas à perda de memória e das funções cognitivas.

Por conta dessa situação, os cientistas defendem que mais estudos são necessários para se determinar se é prudente sugerir a inclusão do lítio na água já que o volume utilizado deveria ser definido de maneira muito precisa. Em algumas pessoas, por exemplo, mesmo concentrações muito baixas de lítio podem ter efeito tóxico.

Atualmente, o lítio já é usado para tratar alguns transtornos psiquiátricos, como a bipolaridade. Outros estudos também já mostraram os benefícios do lítio para casos de demência leve, prevenindo a evolução para quadros mais graves, como o Alzheimer.

Foto: © Pingpao - Shutterstock.com