Dieta interfere diretamente nas emoções

Pedro Muxfeldt - 14 de dezembro de 2017 - 09:34
Dieta interfere diretamente nas emoções
Estudo mostra que jovens e adultos apresentam necessidades alimentares diferentes para ter mente equilibrada

(CCM SAÚDE) — A alimentação tem papel fundamental nas emoções do indivíduo e esse equilíbrio é mantido por alimentos diferentes de acordo com a idade, aponta estudo da Universidade de Binghamton, nos Estados Unidos.


A pesquisa foi feita por um questionário eletrônico enviado a grupos sociais de diferentes países. Porém, não se divulgou o número de participantes envolvidos. As perguntas foram sobre hábitos alimentares e estado emocional dos voluntários.

Para Lina Begdache, professora de estudos de saúde e coordenadora do trabalho, a principal descoberta da pesquisa é de que o regime alimentar influencia de maneira diferente entre jovens (de 18 a 29 anos) e adultos (acima dos 30 anos). Isso se deveria principalmente à falta de uma maturação completa do cérebro até os 30 anos.

Os resultados mostraram que, no primeiro grupo, os indivíduos necessitam maior quantidade de alimentos que aumentam a disponibilidade de neurotransmissores no organismo, onde se destaca a carne vermelha e branca. "O consumo regular de carne e a prática de exercícios eleva a produção de serotonina e dopamina, dois químicos cerebrais, que promovem um bom estado psicológico. Em outras palavras, reduzir o consumo de carne e realização de exercícios entre jovens causa desequilíbrio emocional significativo", afirma Begdache.

Já entre os maiores de 30 anos, as necessidades principais se voltam para produtos ricos em antioxidantes, especialmente as frutas. Por outro lado, esse grupo de pessoas precisa reduzir a ingestão de alimentos que ativam o sistema nervoso simpático, entre eles a cafeína.

"O envelhecimento leva à maior formação de radicais livres (oxidantes), que causam distúrbios no cérebro e reduzem a capacidade de regulação do estresse. Por isso, a necessidade de antioxidantes e de se evitar os estressores", diz a pesquisadora.

Foto: © fuzzbones - 123RF.com