Exame de sangue identifica mal de Alzheimer

Natali Chiconi - 2 de fevereiro de 2018 - 10:04
Exame de sangue identifica mal de Alzheimer
Parceria entre Austrália e Japão cria teste que aponta presença no sangue de proteínas tóxicas ligadas à doença

(CCM SAÚDE) — Pesquisadores de universidades da Austrália e Japão desenvolveram exame de sangue capaz de identificar a presença de proteínas tóxicas relacionadas ao mal de Alzheimer com precisão na casa dos 90%.


A novidade foi testada em pacientes saudáveis, bem como naqueles com perda de memória recente e outros com diagnóstico já confirmado da doença neurodegenerativa. Ela funciona a partir da análise da concentração de proteínas beta-amiloides, associadas ao Alzheimer, na corrente sanguínea.

Apesar da necessidade de melhora, o exame já é considerado a melhor alternativa para criação de um teste simples para o Alzheimer. Atualmente, o diagnóstico é feito a partir de uma ressonância magnética cerebral, que também avalia a presença das toxinas, mas tem preço muito mais alto.

Além de poder fazer diagnósticos, o exame, acreditam os cientistas, poderia ser usado no acompanhamento de pacientes em tratamento para se verificar se a terapia conseguiu interromper o aumento ou reduzir a concentração de beta-amiloides no organismo.

Foto: © dolgachov - 123RF.com