Modo de caminhar ajuda a identificar demência

Natali_CCM - 2 de março de 2018 - 09:17
Modo de caminhar ajuda a identificar demência
Pesquisa feita por cientistas alemães avaliou 103 voluntários e teve 97% de precisão

(CCM SAÚDE) — A demência, condição que exige uma avaliação minuciosa para ser identificada, teve mais um indício descoberto por cientistas alemães. Segundo eles, a forma como as pessoas caminham pode revelar o transtorno cognitivo.


Em experimento com 103 voluntários, os pesquisadores avaliaram sua forma de caminhar por 20 metros, identificando possíveis distúrbios de marcha. Pelo teste, foi possível diferenciar quem sofre de hidrocefalia de pressão normal idiopática (iNPH, na sigla em inglês) daqueles com paralisia supranuclear progressiva (PSP). Ambos são tipos de demência muito parecidos.

Publicados na revista 'Neurology', os estudos foram motivados pelos índices de envelhecimento da população. "O que ambos os tipos de demência têm em comum é o fato de serem clinicamente caracterizadas por disfunção da marcha e comprometimento cognitivo. Além disso, parecem compartilhar mecanismos fisiopatológicos", explica, ao jornal 'Correio Braziliense', Charlotte Selge, pesquisadora da Universidade Ludwig Maximilian de Munique.

Além do teste de marcha e com tarefas simultâneas, os pacientes foram submetidos a um exame neurológico completo, análises oculares, ressonância magnética, testes cognitivos e de memória.

No geral, a precisão de diagnóstico foi de 97%, o que pode ajudar no aprimoramento do diagnóstico desse problema. Esse evolução poderia mudar o tratamento da doença e o prognóstico do paciente, já que, em alguns casos, a demência tem cura.

Foto: © Dmitriy Shironosov - 123RF.com