Antibiótico e antiácido levam a alergias em bebês

Pedro Muxfeldt - 11 de abril de 2018 - 07:13
Antibiótico e antiácido levam a alergias em bebês
Uso de remédios em bebês deve ser moderado; alergia a comidas e asma são quadros mais comuns

(CCM SAÚDE) — A prescrição de antiácidos e antibióticos para bebês está associada a aumento do risco de alergias e, portanto, deve ser evitada. É o que afirma pesquisa da Universidade de Bethesda, nos Estados Unidos.


O estudo, que acompanhou cerca de 800 mil crianças nascidas entre 2001 e 2013 demonstrou que antiácidos foram utilizados por 9% dos bebês, principalmente para o tratamento do refluxo. Nos quatros anos seguintes, mais da metade deles desenvolveu algum tipo de alergia (intolerância a alimentos e remédios, asma e alergia ao pólen).

Além disso, o risco de alergia a alguma comida dobrou entre os bebês que tomaram antiácidos durante os primeiros seis meses de vida enquanto a probabilidade de anafilaxia (reação alérgica grave) aumentou em 50% nesses casos.

Com os antibióticos, o quadro não foi muito diferente. Indicadas para tratar infecções bacterianas, essas drogas duplicaram o risco de asma e elevaram em 50% as chances de alergia ao pólen e choque anafilático em relação aos bebês que não tomaram remédios.

Apesar de não afirma que os medicamentos são os causadores das alergias, o autor do estudo, Edward Mitre, garante a relação entre os casos e sugere a redução do uso de antiácidos e antibióticos por crianças. "Esses medicamentos são considerados inofensivos, mas devemos ser cautelosos ao prescrevê-los", afirma ele à agência 'AFP'.

Foto: © Evgeny Atamanenko - Shutterstock.com