Cientistas criam vacina para câncer de ovário

Natali_CCM - 12 de abril de 2018 - 09:12
Cientistas criam vacina para câncer de ovário
Solução personalizada é feita a partir das células da paciente e eleva taxa de sobrevida

(CCM SAÚDE) — Uma fórmula desenvolvida a partir de células da própria paciente ajuda o sistema a reagir com mais força a um tumor de ovário em estágio avançado, elevando a sobrevida em até dois anos.


A conclusão foi obtida a partir de uma pesquisa com 25 voluntárias, feita por cientistas da Suíça, dos Estados Unidos e da Grécia, e os resultados foram publicados na revista 'Science Translational Medicine'.

"Estávamos interessados em utilizar o tumor inteiro como fonte de antígeno para a vacinação, pois acreditamos que é o melhor tipo de estratégia, já que cada tumor é diferente. Usar o cancro como base para vacinar é uma abordagem em que acreditamos e apostamos neste estudo, o que também foi feito com base em nossas pesquisas anteriores sobre o mesmo tema", diz, ao jornal 'Correio Braziliense' Lana Kandalaft, pesquisadora do Hospital Universitário de Lausanne, na Suíça, e autora principal do estudo.

Depois de aplicar as doses em 25 pacientes com câncer de ovário avançado, os pesquisadores acompanharam as mulheres por dois anos. Os resultados foram positivos - as 392 doses foram bem toleradas.

"A vacina impulsionou uma resposta imunológica, e esse aumento se correlacionou com a melhora da sobrevida dessas pacientes", completa a autora.

Atualmente, a grande maioria dos casos de câncer de ovário são carcinomas epiteliais, com início na superfície ovariano. Há, ainda, o tumor maligno das células germinativas, dando origem aos ovócitos, células terminativas femininas. Para 2018, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) prevê a descoberta de 6.150 casos de câncer no ovário no Brasil.

Foto: © blueringmedia - 123RF.com