Depressão: mapa genético pode levar a terapias

Pedro.CCM - 4 de maio de 2018 - 08:54
Depressão: mapa genético pode levar a terapias
Estudo internacional com 200 pesquisadores descobriu 30 novos genes ligados à doença

(CCM SAÚDE) — Um estudo internacional com a participação de 200 cientistas conseguiu elaborar o mais completo mapa genético da depressão. Ao todo, 44 genes foram identificados, sendo que 30 deles nunca haviam sido associados à doença.


Ao triplicar o número de genes com efeitos conhecidos sobre os riscos de desenvolvimento da depressão, os pesquisadores esperam encontrar novas formas de tratar a doença, que afeta 300 milhões de pessoas anualmente e é considerada a doença mais incapacitante do mundo.

"Nas últimas décadas, há uma carência de novos mecanismos que combatam a depressão e demais distúrbios psiquiátricos. Nossa esperança é que com esses achados seja possível desenvolver novos tipos de drogas que tenham mecanismos de ação diferentes das atuais", explica Gerome Breen, coautor do estudo ao jornal britânico 'The Guardian'.

Publicado na revista 'Nature Genetics', o levantamento avaliou dados de 480 mil pessoas, cerca de um terço delas com diagnóstico da doença. Os resultados mostraram que os 10% com maior número dos genes tinham 2,5 vezes mais risco de ter depressão que os 10% com menos genes.

A pesquisa, coordenada pela cientista Naomi Wray, da Universidade de Queensland, na Austrália, também revelou, por exemplo, que alguns dos genes associados à depressão também estão ligados a casos de esquizofrenia, crises de ansiedade e distúrbio bipolar e aumento do índice de massa corporal.

Foto: © Katarzyna Biasiewicz - 123RF.com