Exame de sangue indica risco de parto prematuro

Natali Chiconi - 11 de junho de 2018 - 09:48
Exame de sangue indica risco de parto prematuro
Pesquisadores dos Estados Unidos desenvolveram método mais seguro que ultrassonografia

(CCM SAÚDE) — O pré-natal é o momento de buscar indícios de que algo no parto pode dar errado. Pensando nisso, cientistas dos Estados Unidos desenvolveram um exame de sangue que indica risco de parto prematuro.


Em pesquisas com gestantes, o novo método detectou de 75 a 80% dos nascimentos prematuros. A novidade foi, ainda, utilizada para estimar a idade gestacional do feto de forma confiável e mais barata do que a ultrassonografia.

Divulgado na revista 'Science', o teste avaliou amostras sanguíneas de dois grupos de grávidas. O primeiro, composto por 31 dinamarquesas saudáveis, que forneceram amostras de sangue semanalmente para avaliar o RNA produzido pela placenta.

O outro grupo era composto por 38 mulheres com risco de parto prematuro devido a contrações precoces ou histórico desse problema em outras gestações. Após a análise, os cientistas descobriram que os níveis de RNA livre de células de sete genes da mãe e da placenta poderiam prever quais as gestações seriam finalizadas mais cedo.

"São principalmente genes maternos. Nós achamos que é a mãe enviando um sinal de que ela está pronta para ter o bebê", explicou Mira Moufarrej, pesquisadora da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e uma das autoras do estudo. Do segundo grupo de grávidas, 13 tiveram os filhos prematuramente, e 25, no tempo esperado.

Esse teste, relativamente simples e sem riscos para o bebê, pode ajudar a identificar que gestantes precisam de cuidados específicos para evitar o parto prematuro, uma das maiores causas de mortalidade neonatal.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, por ano, nasçam 15 milhões de bebês nessa condição e morram 1 milhão de crianças com menos de 5 anos em decorrência desse tipo de parto.


Foto: © Andresr - Shutterstock.com