OMS aponta vício em videogame como doença

Natali_CCM - 19 de junho de 2018 - 09:35
OMS aponta vício em videogame como doença
Compulsão por jogos eletrônicos é descrita como "padrão de comportamento persistente e recorrente"

(CCM SAÚDE) — O vício em videogame foi incluído na lista de transtornos mentais reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a nova Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID 11), lançada nesta segunda-feira (18), é necessário um período de pelo menos 12 meses para que um diagnóstico seja atribuído, porém essa duração pode ser reduzida caso todos os requisitos de diagnóstico sejam cumpridos e os sintomas, severos.


O próximo passo para identificar e tratar o problema é apresentar essa CID-11 na Assembleia Mundial da Saúde, para que seja aderida pelos Estados Membros em maio de 2019. Ela entrará em vigor em janeiro de 2022.

O documento, atualmente, ajuda a treinar profissionais de saúde e auxilia na identificação de doenças e tendência de saúde, com 55 mil códigos para lesões, doenças e causas de morte.

No manual de classificação de doenças da OMS, a compulsão por videogame ou jogos eletrônicas é um "padrão de comportamento persistente ou recorrente”, podendo tomar a preferência sobre outros interesses da vida real.

Para combater esse problema, especialistas recomendam que os pais imponham rotina e normas bem claras, negociando com os filhos o uso dos eletrônicos. A prática de esportes deve ser incentivada e a criança ou adolescente não deve utilizar esses dispositivos duas horas antes de dormir.

Caso essas regras não sejam cumpridas e a pessoa deixe de se dedicar a hobbies ou atividades sociais para jogar, é hora de buscar ajuda de um psiquiatra ou psicólogo.

Foto: © Denys Prokofyev - 123RF.com