Dormir mais reduz as chances de ter Alzheimer

Natali_CCM - 4 de julho de 2018 - 09:12
Dormir mais reduz as chances de ter Alzheimer
Estudo aponta que dormir de 7 a 9 horas por dia evita diversas doenças

(CCM SAÚDE) — Quanto menos tempo de sono, mais curta será a vida de uma pessoa. Essa é a conclusão obtida por pesquisadores da Universidade de Berkeley, nos EUA.


Dormir é tão benéfico, segundo o professor Matthew Walker, um dos responsáveis pelo estudo e autor do livro 'Por Que Dormimos', que médicos deveriam prescrever isso a seus pacientes, que precisam dormir mais, porém de maneira natural, ou seja, sem remédios.

Muitas das doenças que temos, segundo os pesquisadores, têm relação com a falta de sono. Mal de Alzheimer, câncer, doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, depressão, ansiedade e até tendências ao suicídio são alguns exemplos. Por isso, dormir de sete a nove horas por dia é essencial.

Nos últimos anos, notou-se uma queda significativa no tempo de sono das pessoas. Isso acontece por conta das inúmeras responsabilidades do dia a dia, do trabalho, estudos, compromissos familiares, etc. Por isso, ficou mais difícil de se entrar na fase REM, que é a fase do sono em que sonhamos.

Estudos apontam que pessoas que antes dormiam mal, mas mudam sua rotina e começam a dormir mais, evitam a deterioração degenerativa e o mal de Alzheimer por mais de dez anos. Quem mantém o padrão de sono insuficiente continua mais suscetível a esses problemas, já que noites mal dormidas não podem ser compensadas, ao contrário do que se pensa.

Foto: © Antonio Guillem - shutterstock.com