Depressão na gravidez afeta saúde de bebês

Natali_CCM - 20 de julho de 2018 - 09:08
Depressão na gravidez afeta saúde de bebês
Estudo conduzido no Reino Unido indica que bebês de mães deprimidas são chorosos e mais hiperativos

(CCM SAÚDE) — Uma pesquisa feita no Reino Unido indica que a depressão na gestação afeta os bebês. O estudo indica que eles ficam mais irritados, hiperativos e chorosos.


Conduzido pelo Instituto de Psiquiatria e Neurociência do King's College London, no Reino Unido, o estudo acompanhou 106 mulheres grávidas a partir da 25ª semana de gestação, sendo que 49 delas foram diagnosticadas com depressão e não tomavam medicamentos para tratar a doença.

Após os partos, os pesquisadores monitoraram tanto o comportamento dos bebês quanto a liberação de cortisol (hormônio que surge em situações de estresse e perigo) deles.

Os testes foram conduzidos aos seis dias de vida, aos oito meses e aos 12 meses. O resultado foi que essas crianças se mostraram mais hiperativas e chorosas e liberaram mais cortisol em situações comuns, estressando-se mais.

"Em termos de comportamento, no sexto dia após o nascimento, os bebês com mães que tinham depressão eram mais hiperativos e reativos a som, luz e frio. E era mais difícil consolá-los e acalmá-los", disse, à 'BBC News Brasil', Carmine Parianti, professor do King's College, um dos autores da pesquisa.

Além desse resultado alarmante, o que preocupa os estudiosos é a probabilidade de essas crianças desenvolverem problemas psicológicos ou depressão no futuro, ao lidarem com problemas cotidianos ou situações de sofrimento.

Atualmente, pelo menos uma a cada 10 mulheres sofrem de depressão durante a gestação. O importante, com esse estudo, é alertar para a necessidade dessas mulheres buscarem ajuda na gravidez, tanto para a sua saúde quanto para a do bebê.

Foto: © dolgachov - 123RF.com