Tuberculose: novo tratamento reduz tempo e efeitos

Pedro Muxfeldt - 8 de agosto de 2018 - 08:11
Tuberculose: novo tratamento reduz tempo e efeitos
Terapia experimental para tuberculose latente dura quatro meses e não traz prejuízos ao fígado

(CCM SAÚDE) — Uma nova terapia para tuberculose latente, quando o paciente tem a bactéria, mas não está doente, quer reduzir a duração do tratamento e efeitos colaterais associados.


Dois estudos da Universidade McGill, no Canadá, demonstraram a segurança e eficácia do novo antibiótico testado. O primeiro teste foi feito com 6.800 adultos - metade fez o tratamento convencional com isoniazida por nove meses e metade tomou rifampicina por quatro meses. No segundo, o mesmo foi feito com um grupo de 800 crianças.

"Mesmo se tomada por pouco tempo, a isoniazida provoca efeitos colaterais importantes, principalmente sobre o fígado. O que estamos mostrando é que ela não é nem um pouco necessária", afirma o doutor Richard Menzies, líder da pesquisa, ao jornal britânico 'The Guardian'.

Atualmente, estima-se que um quarto da população mundial tenha tuberculose latente, quadro que pode se transformar na doença propriamente dita. Todos os anos, mais de 10 milhões de casos de tuberculose são relatados no mundo, com cerca de 1,7 milhão de mortes.

Foto: © Lisa Young - 123RF.com