Sedentarismo cresce no mundo; Brasil preocupa

Natali Chiconi - 5 de setembro de 2018 - 08:42
Sedentarismo cresce no mundo; Brasil preocupa
Brasil é um dos 5 países com mais alto índice de sedentarismo, condição que pode provocar doenças graves

(CCM SAÚDE) — Um estudo feito com dados de 168 países indica que o sedentarismo, causa de uma série de doenças, atinge cerca de 25% da população mundial.


A informação mais alarmante é que o Brasil figura entre as cinco nações mais afetadas pelo problema e boa parte de sua população está suscetível a doenças provenientes do sedentarismo, tais como enfermidades cardiovasculares, diabetes 2, demências e alguns tipos de câncer.

O estudo, conduzido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que não houve progressos no sentido de combater o sedentarismo entre 2011 e 2016. No Brasil, quase 50% da população não se exercita o suficiente, segundo a base para avaliação, que considerou os valores de 75 a 150 minutos de atividade física por semana.

Segundo a pesquisa, se esse ritmo se mantiver, a meta de reverter essa situação até 2025 não será atingida. Isso porque, entre as pessoas estudadas, 75% não realiza atividade moderada/intensa ao menos 150 minutos por semana.

"Diferentemente de outros importantes riscos à saúde, níveis insuficientes de atividade física não estão caindo no mundo e, em média, mais de um quarto de todos os adultos não alcança os níveis recomendáveis para ter uma boa saúde", alerta Regina Guthold, principal autora do estudo e pesquisadora da OMS na Suíça.

Ainda segundo o estudo, 47% dos brasileiros são sedentários. A falta de atividades física é mais importante entre as mulheres que, deste total, representam 53,3%.

O topo do ranking é ocupado por Kuwait (67%), Arábia Saudita (53,1%) e Iraque (52%). Países desenvolvidos e de alta renda, tais como Alemanha, Estados Unidos e Inglaterra, também possuem taxas preocupantes.

Para reverter o problema, especialistas reforçam a importância de incentivar crianças e adolescentes a se exercitarem e adotarem uma rotina mais saudável e ativa.

Foto: © Luis Louro - 123RF.com