Pílula “balão” pode substituir cirurgia bariátrica

Natali Chiconi - 26 de outubro de 2018 - 08:11
Pílula “balão” pode substituir cirurgia bariátrica
Novo método tem sido difundido nas redes sociais como alternativa ao procedimento invasivo

(CCM SAÚDE) — A cirurgia bariátrica, indicada para quem sofre de obesidade, ganhou uma nova aliada: uma pílula-balão que infla e preenche boa parte do estômago, gerando saciedade.


A novidade, amplamente difundida nas redes sociais, é indicada apenas para casos específicos, porém, em alguns pacientes, pode ter o mesmo efeito que o procedimento mais invasivo, que costuma gerar diversos efeitos colaterais e demandar um grande tempo de recuperação.

"Por tratar-se de um método novo, os dados sobre a sua segurança ainda são pouco conhecidos. Apesar disso, sabe-se que, por tratar-se de um corpo estranho no interior do estômago, o paciente pode apresentar desde náuseas e dor abdominal discreta, até o desenvolvimento de úlceras, sangramento gástrico e obstrução intestinal por migração do balão", explica, ao portal 'G1', Marcos Belotto, gastrocirurgião do Hospital Sírio Libanês de São Paulo.

Nesses casos, a retirada imediata do balão é necessária. Entretanto, quando o dispositivo é bem tolerado, os estudos utilizados para sua aprovação relatam perda de peso variável, já que grande parte dos resultados se deve à adoção de uma dieta e exercícios físicos, assim como na cirurgia bariátrica.

Em geral, para se submeter a uma cirurgia bariátrica, o paciente deve ter entre 18 e 65 anos, Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou superior a 40 kg/m², com ou sem comorbidades, ou entre 35 e 39,9 kg/m², com comorbidades como diabetes, hipertensão arterial e dislipidemia.

Embora ambos sejam procedimentos recomendados para garantir uma perda de peso significativa, é fundamental que o paciente adote um novo estilo de vida no pós-operatório e seja acompanhado por uma equipe multidisciplinar. É primordial aderir à dieta, praticar exercícios físicos e cuidar de eventuais transtornos psiquiátricos, se existentes.

Foto: © Kurhan - 123RF.com