Célula-tronco: primeiro transplante contra Parkinson

Pedro Muxfeldt - 16 de novembro de 2018 - 08:59
Célula-tronco: primeiro transplante contra Parkinson
Técnica injetou milhões de células especiais no cérebro de paciente com a doença

(CCM SAÚDE) — A Universidade de Kioto, no Japão, divulgou nesta semana a realização do primeiro transplante de células-tronco contra o mal de Parkinson do mundo.

O procedimento pioneiro foi realizado em um paciente na casa dos 50 anos que não teve sua identidade revelada. A cirurgia ocorreu em outubro e, segundo os médicos japoneses, transcorreu sem complicações. A partir de agora, o homem ficará em observação por dois anos para se avaliar os efeitos da medida sobre os sintomas da doença.

A técnica envolve o uso de células-tronco iPS, que têm a capacidade de se transformarem em qualquer tecido humano. A descoberta das células iPS rendeu a Shinya Yamanaka, coordenador do estudo, o Prêmio Nobel de Medicina de 2012. Elas são vistas como uma das principais ferramentas no campo da medicina regenerativa.

Na cirurgia, o paciente recebeu 2,4 milhões de células iPS no hemisfério esquerdo do seu cérebro através de uma pequena incisão na base do crânio. Em seis meses, caso não haja rejeição das células-tronco pelo organismo, mais 2,4 milhões delas serão transplantadas para o hemisfério direito.

Durante o período de observação, também será monitorado se ocorrerão casos de hemorragia cerebral ou a formação de tumores na região. Se tudo correr dentro do planejado, outros seis pacientes entre 50 e 60 anos já estão na fila para receber o transplante.

Atualmente, o mal de Parkinson, doença neurodegenerativa que provoca tremores nas mãos e pés e rigidez corporal, não possui cura e os tratamentos apenas retardam o avanço da doença. O objetivo dos pesquisadores é que, dentro de alguns anos, o uso de células-tronco seja expandido para todo o mundo para o combate ao Parkinson.

Foto: © nito500 - 123RF.com