Maratona pode alterar biomarcadores do coração

Natali Chiconi - 4 de dezembro de 2018 - 08:45
Maratona pode alterar biomarcadores do coração
Pesquisadores alertam para riscos de eventos cardíacos durante corridas de longa distância.

(CCM Saúde) — Todos sabemos que a prática de exercícios traz benefícios, mas estudos recentes indicam que maratonas podem alterar a saúde cardiovascular dos corredores.


Uma pesquisa feita por cientistas espanhóis alerta para o risco para a saúde do coração dessas provas longas, como a maratona, que tem 42 km de distância. Segundo os especialistas, a prática alteraria a concentração de vários biomarcadores de tensão no coração.

Para chegarem a essa conclusão, cientistas da Universidades Camilo José Cela, em Madri, compararam os níveis de alguns biomarcadores cardíacos, incluindo troponina e troponina T, em três grupos com 21 corredores amadores. Cada grupo correu distâncias diferentes: uma maratona completa, meia maratona e uma corrida de 10 km.

Ao avaliarem os biomarcadores para estresse do tecido cardíaco, os pesquisadores descobriram que o nível de tensão foi muito maior em quem completou a maratona. Vale destacar que grande parte dos eventos cardíacos gerados por exercícios ocorrem nessas provas, especialmente em homens com mais de 35 anos.

“Entendemos que os corredores de uma maratona são pessoas saudáveis, sem fatores de risco que poderiam gerar um evento cardíaco após uma prova”, explica Juan Del Coso, principal responsável pelo estudo. “Nossos estudos sugerem que correr provas de menor resistência reduz a tensão imposta ao miocárdio”, explica.

A incidência de paradas cardíacas em maratonistas é apenas 1 a cada 50 mil corredores, porém grande parte dos eventos cardíacos ocorre durante essas provas de longa duração. A próxima etapa para aprimorar o estudo é investigar grupos maiores de atletas.

Foto: © Wavebreak Media - 123RF.com