Aplicativo detecta anemia com foto das unhas

Natali Chiconi - 6 de dezembro de 2018 - 08:39
Aplicativo detecta anemia com foto das unhas
Cientistas de Atlanta, nos EUA, prometem o fim das agulhas para diagnóstico do distúrbio.

(CCM Saúde) — A anemia se caracteriza pelo baixo nível de glóbulos brancos no sangue. Para descobri-la, é preciso fazer um hemograma, porém, no futuro, apenas uma foto deve bastar.


Criado por cientistas da Escola de Medicina da Universidade Emory, de Atlanta, nos Estados Unidos, um aplicativo de celular dispensa gastos médicos e laboratoriais para identificar a anemia, além de eliminar a necessidade de agulhas.

O software funciona da seguinte maneira: por meio de uma fotografia das unhas da mão, ele identifica se o usuário está com níveis adequados de hemoglobina no sangue. Os estudos, publicados na revista ‘Nature Communications’, foram, até agora, animadores e precisos.

Os cientistas envolvidos no processo de criação do app estimam que ele esteja disponível para o público até o fim do primeiro semestre de 2019. Para confirmar sua eficácia, ele foi testado em 337 pessoas, algumas saudáveis e outras anêmicas.

Criado por um engenheiro biomédico portador de uma doença hereditária que requer transfusões de sangue mensais, o app permite que sejam realizados exames constantes sem ações invasivas.

"O ideal seria eu realizar exames de níveis de hemoglobina com frequência, mas, como se trata de um aborrecimento a mais, os médicos costumam apenas estimar quanto vou precisar de transfusão, com base nas tendências do meu nível de glóbulos vermelhos”, conta o pesquisador Robert Mannino à 'BBC'.

Além de não precisar de testes invasivos, o app poderá, segundo seus desenvolvedores, ser utilizado em comunidades sem acesso a laboratórios de análises clínicas, especialmente em países em desenvolvimento.

Uma única imagem de celular, sem regulagem personalizada, pode dar uma precisão de até 97%, segundo os desenvolvedores. Eles estimam que, em quatro semanas de uso contínuo, o app "aprenda” o perfil do usuário e passe a dar resultados com níveis de precisão equivalentes aos de um exame de sangue convencional.

Foto: © Sergey Tolmachyov - 123RF.com