Estudo consegue atrasar envelhecimento com droga

Pedro Muxfeldt - 17 de dezembro de 2018 - 07:03
Estudo consegue atrasar envelhecimento com droga
Pesquisa da Unicamp conseguiu prolongar tempo e qualidade de vida de verme com antibiótico.

(CCM Saúde) — Um antibiótico se mostrou capaz de prolongar o tempo de vida de um verme e poderá ser usado para atrasar o envelhecimento em seres humanos.

É o que aponta uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) publicada na revista científica 'Redox Biology'. No estudo, vermes Caenorhabditis elegans viveram 18% a mais que a média e apresentaram melhor qualidade de vida após uso do antibiótico enoxacino, já utilizado para combater infecção urinária em humanos.

De acordo com o pesquisador Marcelo Mori, coordenador do experimento, a droga age sobre as moléculas reguladoras microRNAs, que são essenciais no processo de envelhecimento das células. "Quando ela está ativada, ela é pró-longevidade. Quando é inibida, está associada a doenças, ao envelhecimento precoce", afirma ele ao portal 'G1'.

O objetivo dos cientistas era ativar estas moléculas nos vermes para retardar seu envelhecimento. Além do aumento do tempo de vida, estes micro-organismos também apresentaram melhor mobilidade por período mais prolongado, dizem os especialistas.

Atualmente, testes com camundongos já estão sendo realizados pela equipe de Mori para avaliar a segurança e eficácia do tratamento em animais maiores. Paralelamente, os pesquisadores buscam descobrir formas de utilizar apenas o princípio ativo do antibiótico, reduzindo, assim, os efeitos colaterais do medicamento.

Foto: © Katarzyna Białasiewicz - 123RF.com

Veja também