Marcapasso cerebral pode tratar neuropatias

Pedro Muxfeldt - 9 de janeiro de 2019 - 11:58
Marcapasso cerebral pode tratar neuropatias
Aparelho sem fio é capaz de interpretar corrente elétrica para prevenir tremores e convulsões.

(CCM Saúde) — Um dispositivo implantado no cérebro pode ser uma nova opção de tratamento para distúrbios neurológicos, como epilepsia e mal de Parkinson.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia-Berkeley, nos Estados Unidos, desenvolveram uma espécie de marcapasso cerebral que é capaz de interpretar e realizar alterações na corrente elétrica para prevenir sintomas de algumas neuropatias, tais como tremores e convulsões.

Segundo os cientistas envolvidos no estudo, o aparelho, denominado WAND, pode ganhar importância pois seria capaz de ler e registrar alterações mínimas na corrente elétrica e, com o aprendizado sobre a variação de cada paciente, fazer os ajustes necessários para tratar os distúrbios neurológicos.

"O processo de encontrar a terapia correta para um paciente é extremamente caro e pode levar anos. Uma redução significativa de custo e tempo pode melhorar bastante o prognóstico dessas doenças. Queremos permitir que o dispositivo possa descobrir qual a melhor forma de estimular o cérebro de cada paciente", diz Rikky Muller, uma das autoras do estudo, publicado na revista 'Nature Biomedical Engineering'.

Como demonstração da eficácia do dispositivo, a equipe de Muller implantou o marcapasso em macacos. O aparelho foi capaz de estimular e retardar movimentos dos braços dos animais. Caso a segurança do aparelho seja comprovada, o objetivo dos cientistas é realizar testes em seres humanos.

Foto: © Yuriy Klochan - 123RF.com

Veja também