Adoçantes não emagrecem e nem fazem mal

Natali Chiconi - 16 de janeiro de 2019 - 08:25
Adoçantes não emagrecem e nem fazem mal
Estudo, financiado pela OMS, avaliou 56 pesquisas sobre o assunto e fez descobertas sobre o tema.

(CCM Saúde) — Adoçantes não representam um bem nem tampouco um mal a quem os ingere. Essa foi a conclusão de estudo financiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Depois de analisarem 56 pesquisas comparando adultos e crianças saudáveis com baixa ou zero ingestão dessa substância com quem faz uso mais intenso do adoçante, a pesquisa indicou que eles não ajudam a emagrecer e tampouco oferecem riscos à saúde.

Publicado na revista 'British Medical Journal', o estudo minimizou as evidências de que o adoçante reduz as chances de ter diabetes 2, sobrepeso e obesidade. Além disso, afastou a possibilidade de que essa substância eleva o risco de diabetes e até câncer, como alguns estudos sugeriam.

Ao avaliar adoçantes com uso comercial aprovado, como sucralose, sacarina, aspartame e estévia, considerando informações de peso, índice glicêmico, saúde oral, histórico de câncer, de doenças renais e cardiovasculares, além de comportamento e humor, a pesquisa chegou à conclusão de que não há diferenças entre quem se expôs a adoçantes artificiais e açúcar.

“Trocar açúcares por adoçantes levanta a promessa de benefícios à saúde primariamente pela redução na contribuição dos açúcares na ingestão calórica diária e, portanto, redução no ganho de peso não saudável. Contudo, evidências de efeitos negativos devido ao uso dos adoçantes são conflitantes”, explicam os autores da pesquisa.

“Embora o estudo não resolva essa questão em definitivo, já se testou à exaustão a hipótese de o adoçante causar câncer e não se encontrou relação. Para ter o poder de mudar a qualidade das células seria necessário usar uma quantidade absurda, que ninguém conseguiria consumir”, observa Mario Carra, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem), ao jornal 'Correio Braziliense'.

Foto: © Monika Wisniewska - Shutterstock.com