Brasil confirma segundo caso de febre do Nilo

Natali Chiconi - 15 de fevereiro de 2019 - 08:52
Brasil confirma segundo caso de febre do Nilo
Notificado em 2017, caso teve laudo conclusivo divulgado em janeiro; paciente mora no Piauí.

(CCM Saúde) — O Brasil confirmou, nesta semana, o segundo caso de febre do Nilo Ocidental de sua história. De acordo com o Ministério da Saúde, o caso ocorreu em 2017.

Com laudos conclusivos obtidos em janeiro deste ano, o caso alerta para a necessidade de se adotar medidas preventivas contra a arbovirose, causada pela transmissão do Culex (mosquito comum), que também transmite dengue, zika e chikungunya.

Ainda não existem tratamentos para casos leves e moderados. O recomendável é que o paciente fique em repouso fazendo reposição de líquidos. Se o paciente tiver a versão grave da doença, é preciso acompanhamento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os sintomas da febre do Nilo Ocidental incluem febre aguda de início abrupto, acompanhada de mal-estar; anorexia; náusea; vômito; dor nos olhos; dor de cabeça; dor muscular; exantema máculo-papular (manchas vermelhas na pele) e linfoadenopatia (nódulo geralmente atrás da orelha).

Por ora, o Brasil teve apenas dois casos do problema em sua história. O primeiro ocorreu em 2014, na cidade de Aroeiras de Itaim, no Piauí. O segundo, também no Piauí, foi registrado no município de Picos.

O Ministério da Saúde informa que "o achado revela a recorrência da circulação do vírus na região e reforça a importância das ações de vigilância e investigação" da doença. Apenas em 2018, a doença atingiu 1.505 pessoas e causou 115 mortes na Europa.

Foto: © mycteria - 123RF.com