Sal pode favorecer reações alérgicas, diz estudo

Natali Chiconi - 25 de fevereiro de 2019 - 08:37
Sal pode favorecer reações alérgicas, diz estudo
Pesquisadores alemães demonstraram que sal leva à formação de células que se ativam em condições alérgicas.

(CCM Saúde) — Um estudo da Universidade Técnica de Munique demonstrou que o sal leva à formação de células que se ativam em condições alérgicas, como a dermatite atópica.

A pesquisa, divulgada pela revista 'Science Translational Medicine', demonstrou que pacientes com alergias alimentares tinham grandes concentrações de sal na pele. Isso explicaria, em grande parte, o surgimento de alguns tipos de dermatites atópicas.

O sal de mesa é essencial à saúde de seres humanos e animais. Entretanto, ele pode induzir uma reação em algumas células, fazendo com que elas produzam quantidades aumentadas de proteínas IL-4 e IL-13. Isso pode causar reações inflamatórias na pele como parte de uma reação autoimune.

Atualmente, nos países industrializados, uma em cada três pessoas é afetada por alergias em algum momento da vida. Entre as crianças, uma em cada dez sofre de dermatite atópica. A redução no consumo de sal é uma das medidas apontadas para reverter essa situação.

"Os níveis mais altos de sódio na pele afetada combinam nitidamente com outra característica da dermatite atópica", diz Christina Zielinski, uma das pesquisadoras responsáveis pelo estudo.

"Sabe-se, há algum tempo, que os pacientes com essa condição apresentam níveis elevados da bactéria Staphylococcus aureus na pele. São micro-organismos que prosperam sob condições salinas, diferentemente das bactérias comensais, que são prejudicadas pelo sal".

Embora as descobertas tenham apontado para essa direção, ainda não foi possível identificar com essas grandes quantidades de sal chegam à pele. Os próximos estudos devem colaborar para isso.

Foto: © HandmadePictures - Shutterstock.com