Sono fica ruim até seis anos depois do parto

Natali Chiconi - 28 de fevereiro de 2019 - 09:00
Sono fica ruim até seis anos depois do parto
Estudo indica que mães demoram muito para recuperar a duração e satisfação do sono.

(CCM Saúde) — Uma pesquisa aponta que mães e pais levam até seis anos para recuperarem a qualidade do sono após terem bebês. Isso afeta, principalmente, quem teve seu primeiro filho.

Para chegarem a essa conclusão, cientistas da Universidade de Warwick, no Reino Unido, avaliaram 4.659 voluntários. A carga mais pesada foi detectada para elas - três vezes mais. Os três primeiros meses de vida do recém-nascido também são os momentos mais críticos. O estudo foi publicado na revista científica Sleep.

Ao longo dos próximos seis anos, a situação continua, com melhora gradativa das mães. Seis meses após o parto, por exemplo, elas já haviam ganhado mais meia hora de descanso. Os pais eram privados de 15 minutos de sono por noite.

“As mulheres tendem a experimentar mais distúrbios do sono do que os homens após o nascimento de um filho, o que reflete que as mães ainda assumem mais frequentemente o papel de cuidador principal”, avalia Sakari Lemola, professor do Departamento de Psicologia da universidade britânica e principal autor do estudo.

Os voluntários, moradores da Alemanha, foram convidados a avaliar a qualidade de seu sono, numa escala de 0 a 10. No primeiro ano de vida do filho, os efeitos do sono também foram um pouco mais fortes nas mães que amamentavam, quando comparadas às que alimentavam os bebês de outra forma.

Outra descoberta é que fatores como renda familiar e tipo de parentalidade (dupla ou mono) não protegeram contra as mudanças no sono. “Aconselhamento e apoio devem ser rotineiramente fornecidos para novos pais que se preparam para o parto, a fim de gerenciar suas expectativas de sono pós-parto e incentivá-los a tomar precauções que possam reduzir os riscos dos efeitos da fragmentação do sono e da privação”, alertaram os cientistas.

Foto: © SvetlanaFedoseyeva - Shutterstock.com