Vacina da febre amarela protege contra zika

Natali Chiconi - 27 de março de 2019 - 08:47
Vacina da febre amarela protege contra zika
Pesquisadores cariocas fizeram a descoberta após realizarem testes com camundongos.

(CCM Saúde) — Cientistas do Rio de Janeiro fizeram uma descoberta que pode combater o vírus zika. Segundo eles, a vacina da febre amarela protege contra o problema.

A constatação, que parece óbvia, mas, até então, não tinha sido levantada por pesquisadores, foi obtida após testes com roedores. "Talvez a solução estivesse na nossa frente o tempo todo", diz o médico Jerson Lima Silva, professor do Instituto de Bioquímica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e um dos coordenadores de estudo.

A pesquisa, feita por cientistas da UFRJ e da Fundação Oswaldo Cruz, concluiu que a vacina da febre amarela protegeu camundongos da infecção do vírus em laboratório, reduzindo a carga do vírus no cérebro e prevenindo deficiências neurológicas.

“Nossa pesquisa mostra que uma vacina eficiente e certificada, disponível para uso há diversas décadas, efetivamente protege camundongos contra a infecção do vírus Zika", diz o estudo.

A zika, que ainda não tem vacina, acendeu um alerta em 2016, quando seu surto foi associado a milhares de casos bebês nascidos com microcefalia e outras malformações neurológicas. O problema também está ligado à síndrome de Guillain-Barré em adultos.

Em relação à eficiência da vacina da febre amarela contra a zika, a descoberta se baseou no fato de que ambas são transmitidas por vírus da família dos Flavivírus. Essa foi, portanto, a base para os trabalhos de Silva, Andrea Cheble Oliveira e Andre Gomes, do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Biologia Estrutural e Bioimagem, e do professor Herbert Guedes, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ.

Ao dividir os grupos de cobaias em dois - um que recebeu a vacina da febre amarela e outro com apenas uma solução salina - os pesquisadores constataram que, sem a vacina, os mais suscetíveis morreram e os demais que foram infectados apresentaram sintomas da doença.

"Os resultados foram muito evidentes. A gente acredita que há uma grande chance de a vacina da febre amarela proteger humanos [contra a zika], já que os testes com animais demonstraram uma proteção tão forte", considera Silva.

Se realmente o efeito da vacina for comprovado em humanos, a vantagem seria poder contar com uma vacina já licenciada e utilizada há décadas.

Foto: © Adam Gregor - Shutterstock.com

Veja também