Má alimentação provoca 20% das mortes no mundo

Pedro Muxfeldt - 5 de abril de 2019 - 07:21
Má alimentação provoca 20% das mortes no mundo
Estudo com dados de 195 países revela quais fatores são os principais responsáveis por óbitos.

(CCM Saúde) — Dietas alimentares desequilibradas causam 11 milhões de mortes por ano, o equivalente a um quinto dos óbitos no mundo, aponta estudo global.

A pesquisa, realizada por pesquisadores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e publicada na revista científica 'The Lancet', analisou dados sobre ingestão de 15 nutrientes em 195 países para chegar à estimativa e revelar quais problemas alimentares mais provocam mortes.

De acordo com o levantamento, os principais vilões da alimentação são o excesso de sódio e o consumo reduzido de frutas e grãos. Juntos, esses três fatores foram responsáveis por mais de 5 milhões de mortes em 2017. Do conjunto de 11 milhões de óbitos, 10 milhões ocorreram por problemas cardiovasculares enquanto 913 mil se deram por câncer e 339 mil por diabetes tipo 2.

"Esse estudo afirma o que muitos pensavam há anos - que a má alimentação é responsável por mais mortes do que qualquer outro fator de risco no mundo", aponta Christopher Murray, um dos autores do trabalho. "Ele também destaca a necessidade de intervenções pela promoção da produção e consumo de alimentos saudáveis", completa.

De maneira geral, a conclusão dos cientistas é que a alimentação mundial segue muito longe das taxas recomendadas. Nenhum país apresenta níveis corretos de ingestão de todos os nutrientes. Ao mesmo tempo, nenhum nutriente é consumido de modo adequado por todas as regiões do planeta.

Os maiores desajustes foram encontrados na ingestão de oleaginosas e refrigerantes. Em relação a primeira, seu consumo é, em média, de apenas 12% do recomendado (71 gramas por dia conta 435 g necessárias). Por sua vez, refrigerantes são bebidos em taxa 16 vezes maior que o permitido (49 g de açúcar contra 3 g).

Foto: © its al dente - Shutterstock.com