Expectativa de vida aumenta 5,5 anos neste século

Pedro Muxfeldt - 9 de abril de 2019 - 11:02
Expectativa de vida aumenta 5,5 anos neste século
Melhora geral, no entanto, não esconde profunda desigualdade entre países ricos e pobres.

(CCM Saúde) — A expectativa de vida global saltou 5,5 anos entre 2000 e 2016, afirma o relatório 'World Health Statistics', da Organização Mundial da Saúde.

Segundo o estudo, publicado anualmente desde 2005, alguém nascido em 2016 poderia esperar viver até os 72 anos, ao passo que os nascidos em 2000 possuíam expectativa de 66,5 anos. O aumento é o maior salto na estimativa de vida da população mundial desde os anos 1960.

Nas Américas o aumento foi mais tímido, especialmente por já se partir de um patamar mais elevado. Em 2000, a expectativa era de 73,6 anos e agora ela alcança 76,8. Na contramão desse avanço, os Estados Unidos registaram queda no período (79 contra 78,5), motivada especialmente pelos casos de obesidade.

O principal responsável pelo aumento considerável da média global é o continente africano, onde a estimativa de vida cresceu 9,4 anos, chegando aos 60 anos. Alguns países apresentaram melhores ainda mais notáveis. É o caso da Eritreia, que passou de 43 anos em 2000 para 65 anos em 2016.

Os países pobres da África e de outras regiões do globo seguem bem atrás das nações desenvolvidas. Enquanto o Japão segue na ponta do ranking de expectativa de vida, com 83,7 anos, países como Costa do Marfim e Angola ainda possuem níveis na casa dos 50 anos.

A maior diferença, segundo a agência internacional, está no acesso aos recursos de saúde. Isso faz com que as populações dos países pobres contraiam mais doenças e tenham menor capacidade de receber tratamento adequado.

Foto: © Dmitriy Shironosov - 123RF.com