Garrafas de escritório têm 1 milhão de bactérias

Natali Chiconi - 10 de abril de 2019 - 08:58
Garrafas de escritório têm 1 milhão de bactérias
Análise feita pela Faculdade de Biomedicina da UniMetrocamp aponta contaminação em copos e outros itens.

(CCM Saúde) — Escritórios têm optado pelo uso de garrafas, canecas e copos plásticos em vez dos descartáveis. Essa atitude, embora benéfica, pode causar prejuízos à saúde.

Um estudo conduzido pela Faculdade de Biomedicina da UniMetrocamp, em Campinas, e publicado pelo portal ‘G1’, aponta que esses objetos podem reunir mais de um milhão de bactérias e fungos se não forem higienizados corretamente.

Na pesquisa, foram avaliados bocais e a parte interna de oito garrafas e copos. Todos apresentaram micro-organismos. Segundo os pesquisadores, o erro é acharmos que, por ser água, não existe contaminação. O detalhe é que a garrafa ou o copo entram em contato com a mucosa bucal.

Entre as consequências da falta de higienização adequadas desses objetos estão diarreia, vômitos, náuseas e dor de garganta. Todos causados por bactérias como Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Acinetobacter, Enterobacter, Pseudomonas e Klebsiella. Entre os fungos estão Candida e Rhodotorula.

"São bactérias oportunistas. Nem sempre, no nosso ambiente de trabalho, a gente vai estar bem. Então, a gente pode já estar com o nosso sistema imunológico debilitado e entra em contato com quantidades encontradas, como mais de 1 milhão desses micro-organismos”, explica a pesquisadora Rosana Siqueira, uma das responsáveis pelo estudo.

Os cientistas recomendam que uma higienização adequada seja feita com detergente, esponja de lavar louça e escova de mamadeira para limpar o fundo da garrafa. No caso de canudos, ele deve ficar imerso em uma solução de água sanitária, na proporção de duas colheres para um litro de água. A limpeza deve ser feita todos os dias.

Foto: © Antonio Guillem - 123RF.com