Tratamento universal pode por fim à Aids

CCM International - 6 de maio de 2019 - 08:09
Tratamento universal pode por fim à Aids
Estudo mostra que terapia antirretroviral impede transmissão da doença e pode encerrar epidemia.

(CCM Saúde) — O fim da epidemia de Aids está ao alcance da humanidade e depende apenas do uso de medicamentos e técnicas já existentes.

A conclusão é do estudo Partner (parceiro, em inglês) que acompanhou ao longo de oito anos cerca de mil casais homossexuais onde um deles era portador do vírus HIV e estava em tratamento. Nessas condições, não houve transmissão da doença para o parceiro em relações sem preservativo.

Durante a pesquisa, 15 pessoas foram infectadas pelo vírus, porém todos os casos estavam ligados à prática sexual com outros portadores da Aids e que não estavam realizando terapia antirretroviral.

Desta forma, os pesquisadores apontam que a busca pela universalização do tratamento da Aids deve ser a meta principal dos serviços de saúde uma vez que ele garantiria que o vírus não poderia ser transmitido, garantindo, no longo prazo, o fim da doença.

Segundo Alisson Rogers, da Universidade de Londres, no Reino Unido, e uma das autoras do estudo, publicado na revista 'The Lancet', "as descobertas fornecem evidências conclusivas para homens gays de que o risco de transmissão do HIV com terapia antirretroviral supressiva é zero".

Além disso, a pesquisadora afirma que "essa mensagem poderosa pode ajudar a encerrar a pandemia de HIV e a enfrentar o estigma e a discriminação que muitas pessoas vivendo com HIV sofrem".

O desafio, no entanto, ainda é muito grande. De acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2017, cerca de 40 milhões de pessoas portavam o vírus HIV em todo o mundo. Dessas, apenas 21,7 milhões estavam realizando tratamento contra a doença.

Foto: © James Steidl - 123RF.com