Sobrevida de paciente com Aids dobra no Brasil

Pedro Muxfeldt - 30 de maio de 2019 - 14:11
Sobrevida de paciente com Aids dobra no Brasil
Atualmente, portadores do vírus vivem, em média, mais de 12 anos; em 1996, período ficava abaixo de cinco anos.

(CCM Saúde) — O tempo de sobrevida de pacientes com Aids mais que dobrou nos últimos 20 anos, aponta estudo financiado pelo Ministério da Saúde.

O levantamento acompanhou 112.103 adultos e 2.616 crianças que portavam o vírus a partir de 2003. Em 2014, quando a pesquisa foi encerrada 70% dos adultos e 87% dos menores permaneciam vivos.

Em 1996, antes do tratamento contra o HIV ser incluído no Sistema Único de Saúde (SUS), a taxa de sobrevida de portadores da doença era de quatro anos e 10 meses. Três anos depois, a sobrevivência média já chegava a nove anos.

A universalização do acesso e gratuidade do tratamento antirretroviral, que vem sendo aprimorado com drogas mais modernas, também levou a uma redução significativa da mortalidade de pessoas HIV-positivas.

Segundo o estudo, a queda entre pacientes adultos foi de 89,1% enquanto entre as crianças a diminuição registrada foi de 88,8%. Atualmente, a mortalidade da doença é de 4,8 por 100 mil habitantes.

O Ministério da Saúde estima que 866 mil pessoas vivem com Aids atualmente no Brasil. Para seguir diagnosticando e tratando os casos da doença, o órgão prevê a distribuição de 16 milhões de testes rápidos do vírus em todo o país ao longo de 2019.

Foto: © Jarun Ontakrai - Shutterstock.com