Ressonância pode diagnosticar câncer de próstata

Pedro Muxfeldt - 11 de junho de 2019 - 06:19
Ressonância pode diagnosticar câncer de próstata
Órgão britânico defende uso do método antes da biópsia; exame diferencia casos graves que exigem tratamento.

(CCM Saúde) — Um simples exame de ressonância magnética pode realizar em 10 minutos o diagnóstico do câncer de próstata, aponta instituto britânico.

Segundo diretriz atualizada do Cancer Research UK, todos os pacientes com suspeita da doença deveriam fazer o exame com um especialista para identificar o tumor antes da realização de uma biópsia.

De acordo com a organização, a ressonância seria capaz, além do diagnóstico em si, de distinguir casos graves que exigem tratamento de situações mais leves em que deve ser feito apenas o acompanhamento do paciente.

A situação se explica pois os tumores na próstata crescem de maneira muito lenta. Sendo assim, quando o exame aponta um tumor benigno é possível que ele nunca chegue a crescer e se desenvolver o bastante para precisar ser tratado, diz Mark Emberton, da University College London, ao jornal 'The Guardian'.

Atualmente, o exame de sangue para testagem do nível da proteína PSA é o mais utilizado para diagnóstico do câncer de próstata. No entanto, 75% dos homens com PSA elevado possuem tumores que não devem ser tratados enquanto 15% dos portadores de câncer têm taxa de PSA normal.

"Você acaba tendo muitos homens sendo diagnosticados com câncer que não destinados a morrer por essa condição", afirma Emberton. "O bonito da ressonância é que ela descarta muitos e muitos casos que não precisariam ser diagnosticados", completa.

No Brasil, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), foram registrados 68.220 novos casos de câncer de próstata em 2018. Ainda conforme o órgão, em 2015, último ano com dados consolidados, 14.484 pessoas morreram pela doença no país.

Foto: © epstock - 123RF.com